Categorias

quarta-feira, 2 de junho de 2010

SOBRE A POLÊMICA DEMOLIÇÃO DA ANTIGA RODOVIÁRIA!!!

Kabuki é uma forma de teatro japonês, conhecida pela estilização do drama e pela elaborada maquiagem usada por seus atores. O significado individual de cada ideograma é canto (ka), dança (bu) e habilidade (ki), e por isso a palavra kabuki é às vezes traduzida como “a arte de cantar e dançar”.
Bom Depois desta pequena explicação do que é o Teatro Kabuki, vamos ao que interessa. Acontece que no mês passado, um dia depois de Maringá ter completado 63 anos, no dia 11 de maio, a cidade de Toquio no Japão anunciava que pela ultima vez um famoso e imponente Teatro chamado Kabukiza fechara as cortinas, palco de várias manifestações culturais daquele povo com o  estilo de teatro chamado Kabuki, você pode acompanhar num trechinho de uma matéria da série Mega Cidades exibida pelo Fantástico que eu não estou exagerando quando digo que era imponente, alias se comparado a nossa velha Rodoviária, era uma verdadeira obra de arte, é verdade que não moro la e não pesquisei sobre possíveis manifestações contrárias a demolição do prédio, mas vamos e venhamos, se houveram ou não manifestações contrárias por lá, eu creio que os de bom senso que virem a matéria abaixo vão concordar comigo que existiria muito mais razão para uma manifestação publica em defesa de um patrimônio público histórico construído no século passado como o Kabukiza do que com a nossa velha rodoviária, não estou aqui tentando defender este ou aquele político, e nem sou de me expressar em assuntos como este, mas desde quando vi essa matéria no Fantástico que tenho pensado sobre o assunto e comparado as situações, a grande verdade é que alguns dos manifestantes falam de memórias e eu não posso dizer que só tenho más lembranças daquele lugar, mas é fato, mesmo antes de a prefeitura construir a nova rodoviária ali na Tuiuti, aquele lugar ali perto do terminal já era um ponto de concentração de gente que não tinha o que fazer, e depois que foi inaugurada a rodoviária na Tuiuti então a coisa só piorou, e hoje eu soube que a prefeitura teve que parar a demolição do prédio por força de uma liminar conseguida na justiça por parte dos antigos condôminos.
Sinceramente, creio que parece sim haver motivação política nessa história, é só olhar pra frente, e imaginar daqui a dez anos aquele prédio velho ali, bem ali próximo ao novo centro onde logo teremos vários prédios modernos e bonitos, tenha dó né...
 
Por favor, digam sim a modernidade e a renovação...

4 comentários:

Alan Bariani disse...

Existe motivação política pois o terreno aonde estão os pedaços da rodoviária faz parte do acerto feito entre o atual prefeito e o seu financiador de campanha, e isso não é segredo pra mais ninguém a muito tempo.

Não precisamos ter milênios de história pra termos conciência histórica e não é necessario muito senso artístico (ou simples bom senso) pra saber que aquela nem tão velha construção poderia facilmente abrigar um centro cultural e histórico, que ao contrário do que dizem por ai houveram sim muitos movimentos a favor, mas todos abafados pela tão nobre e burguesa mídia maringaense.

Oque está indo embora não é um prédio velho e sim um pedaço muito importantante da nossa história que merecia um pouco mais de respeito por parte daqueles que deveriam governar pela cidade e sua memória e não pros seus compromissos de campanha.

Fabi disse...

Eu concordo em genero numero e grau q esse monte de lixo ja deveria ter ido para os ares a muito tempo!!!
Qdo eu olhava pra ela eu nao lembrava da historia de mga e sim q aquilo era um antro de prostitutas e drogados q acabavam com a beleza de mga isso sim!!! Sou totalmente a favor da sua demolição... e se pudesse, eu mesma faria isso!!! kkkkkkkkk

Tarkin disse...

toda a noite que passo pela Av. Brasil o que mais vejo é puta. vamos derrubar a avenida tbm e depois alguma faculdades e depois casas noturnoas e depois derrubar a interne e depois.....

Alan Bariani disse...

Se construções antigas habitadas por meretrizes se tornar critério pra demolições vai faltar albergue em Maringá.